Governo Português obriga a chip espião nos carros, PR aprova, Oposição opõe-se

Mais um perigoso sinal do forte declínio que as liberdades civis andam a ter pelo mundo fora. Estranhamente vinda de um partido “dito” de “esquerda”, e vemos os partidos de direita unidos aos partidos mais à esquerda a oporem-se.

O Governo Português quis obrigar todos os carros a terem um microchip espião e, apesar de exprimir algumas reservas, o Presidente da República Aníbal Cavaco Silva promulgou a lei.

O deputado centrista Abel Baptista salientou ainda que “o ‘chip’ é obrigatório e não como a ‘Via Verde’, em que só adere quem quer” e defendeu que “é necessário que a matéria seja muito bem estudada para acautelar a privacidade dos cidadãos”. “Ainda não sabemos quem vai ter acesso aos dados da matéria do ‘chip’ e ficamos preocupados com esse tratamento de dados e de como vai ser feita a localização das viaturas”, afirmou Abel Baptista, acrescentando que a questão “poderá pôr em causa a vida privada das pessoas”.

Infelizmente, de nada serve: o PS tem a maioria absoluta. Mais uma vez vejo reforçada a minha teoria pessoal de que as maiorias absolutas são como o poder absoluto: corrompem absolutamente.

Agora há que pressionar o Governo para fazer um Decreto de Lei que impeça os abusos, ou mudar o governo para alguém que prometa revogar estas leis dignas de Salazar Outrora Caído Retorna Agora Travestido Em Socialista…

Para bom entendedor, um acrónimo basta…

Há backdoors na aplicação principal dos Tribunais?

Saiu no Público Última Hora uma notícia sobre os SMS, uma vez armazenados na memória de um telemóvel, terem a mesma protecção jurídica que um documento que uma pessoa carregue consigo, ou seja, que pode ter de ser mostrado a um agente da autoridade que exija a sua apresentação, sem mandato.

Se o conteúdo da notícia é relativamente preocupante (não sabia sequer que um documento qualquer que venha comigo não tenha protecção nenhuma), assustou-me ainda mais o comentário de um anónimo:

Comentário do Hackeralho
Comentário do Hackeralho

Diz então o texto (caso não esteja legível no screenshot ligado pela imagem anterior):

Os senhores jornalistas querem uma noticia ? eu dou-vos e que tal “habilus” a aplicação principal dos tribunais tem backdoors à anos, quando o sardinha (gajo que desenvolvia a app nos primordios) foi ownado e alguém inseriu código que permite aceder a qualquer máquinas que tenha a aplicação instalada (neste caso apenas todos os servidores dos tribunais) quando um dia destes cair tudo já sabem… se quiserem algum processo avisem ou moradas dos juizes, no dia em que os juizes começarem a armar em parvo vão ver o que vai aparecer na net.

Fogo (os negritos são meus)!

Links: Porque não irei visitar os EUA tão cedo…

Como se não bastassem outros motivos estranhos, agora a probabilidade de ficar sem portátil, telemóvel, players multimédia, e outros dispositivos capazes de armazenamento de mensagens terroristas (como por exemplo um folha de papel amarrotada no bolso, que pode ser um conjunto de instruções disfarçadas de futuro lixo), é extremamente elevada.

Watchmen Video Journals

Watchmen é uma fenomenal BD de Alan Moore e Dave Gibbons que está a ser adaptada ao cinema por Zack Snyder (Dawn of the Dead, 300).

Os Video Journals do filme de Watchmen têm permitido tirar curtas espreitadelas sobre como vai correr a adaptação ao cinema desta BD, e devo confessar estar cada vez mais ansioso. No 4º Video Journal, consegue ver-se que até serão incluídos o velho vendedor de jornais e o miúdo que lê a sub-BD de piratas. Será que até a sub-BD dos piratas será incluída no filme? 🙂

Reclamação à ERSE

Enviei a seguinte reclamação à ERSE por email, para o endereço consultapublica@erse.pt, e convido os que comigo concordarem a fazer o mesmo, e atenção que é só até 7 de Julho que podemos reclamar:

Exmos. Senhores,

Na qualidade de cidadão e de cliente da EDP, num Estado que se pretende de Direito, manifesto e comunico a minha discordância, oposição e indignação relativamente à “proposta” – que considero de uma legalidade extremamente dúbia, se não mesmo inconstitucional – de colocar os cidadãos cumpridores e clientes pagadores a terem que suportar também o valor das dívidas para com a EDP por parte dos incumpridores.

Os melhores cumprimentos,
Rui Seabra

Liberdade de expressão? Em Portugal? hahahahahha

Um (ou mais) cidadão(s) exprime(m) a sua indignação por problemas na sua terra, Póvoa de Varzim.

A solução da Autarquia? Como a censura é constitucionalmente proibida, vamos usar o subterfúgio do “direito ao bom nome” para censura efectiva por via judicial, e que ainda por cima é permitido pela constituição portuguesa. Processe-se quem usufruir da liberdade de expressão (aqui e aqui).

Na minha opinião, o Presidente e Vice-Presidentes da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim deveriam ser expurgados de qualquer participação democrática, por falta de respeito pela essencial liberdade de expressão.

De notar que a União Europeia está a considerar limitar a liberdade de expressão dos cidadãos Europeus através de uma directiva (para já ainda andam em consultas, mas parece-me que já anda com algumas opiniões bem graves).

George R.R. Martin em Portugal

George R.R. Martin é o autor da Song of Ice and Fire, e no seu blog anúncia que vai passar uns dias por Lisboa, nos quais destaca as seguintes sessões:

  • 1 de Julho às 18:30 no El Corte Inglés: Autografia de livros, Leitura de um excerto de A Dance With Dragons, Perguntas e Respostas
  • 2 de Julho às 19 na Fnac do Colombo: Workshop sobre escrita
  • 5 de Julho na Biblioteca Municipal de Telheiras: Mesa redonda sobre ficção fantástica (sci-fi, fantasia, horror, etc…)

Excelentes oportunidades para os fãs desta série (como eu), a saber:

  1. A Game of Thrones
  2. A Clash of Kings
  3. A Storm of Swords
  4. A Fest for Crows
  5. A Dance With Dragons
  6. The Winds of Winter (ainda não publicado)
  7. A Dream of Spring (ainda não publicado)

Uma característica da forma de contar esta saga de fantasia é que as secções, cenas ou actos como preferirem, são sempre contadas da primeira pessoa, mudando de personagem para personagem, levando-nos a desenvolver ódios que mais tarde nos vemos obrigados a rever (eh pá, tu és um cabrão, mas se eu tivesse passado o que tu passaste se calhar não era melhor, pronto até te entendo), e outros em que vemos personagens que pensavamos que seriam a principal e de repente morrem, etc.

Sobretudo a fantasia é fortemente controlada e reservada para mitos distantes, medos e receios, estando o conto fortemente focado em intriga palacial e guerra. Quando parei de ler, tinha lido apenas os três primeiros livros, depois surgiu o 4º e agora o 5º e ainda não tive oportunidade de lhe dar seguimento. Penso que irei aproveitar para comprar os livros, talvez consiga que George mos autgrafe 🙂

Tratado de Lisboa na Irlanda: Computer says no…

Parece que os Irlandeses (os únicos que foram consultados até ao momento) não concordam com o Tratado de Lisboa

É caso para dizer… Computer says no… 🙂

Actualização: Sr. Ministro Luís Amado, este tratado constitucional (não vamos discutir os vossos eufemismos) tem uma resolução simples: uma constituição é feita pelas pessoas, por pessoas, para as pessoas. Não pelas elites, por elites, para as elites.

Artigo vergonhoso na SIC contra blogs

Nota: graças ao vídeo estar on-line, foi-me possível acrescentar mais informação

Na SIC passou um artigo do “Aqui e Agora” que é vergonhosamente “one sided” apenas defendendo a perseguição identificada e sistemática de todos os que participarem na Internet.

«Quem publica na rede devia estar identificado» — Miguel de Sousa Tavares

«Identificar crimes torna-se difícil se a moldura penal não chegar a 3 anos» — Carlos Cabreiro, Polícia Judiciária

Já não liguei o computador a tempo de escrever Algumas das barbáries seleccionadas pela própria SIC que o Rogério Alves (ex-Bastonário da Ordem dos Advogados, e actual advogado da família McCann) são gravíssimas!

«Podem ter uma divulgação excelente, por exemplo uma notícia urgente, uma informação importante, uma intervenção política acutilante mas infelizmente há o reverso da medalha e esse reverso da medalha é tenebroso.» — Rogério Alves, Advogado da família McCann

«comentários que são feitos a notícias de jornais (…) logo a seguir há um cortejo de verrina e veneno.» — Rogério Alves, Advogado da família McCann

Colocaram o Miguel de Sousa Tavares (já falei neste blog sobre a sua visão anti-blogs)!

«São mundos de devassa e violentação» — Moita Flores, Presidente da CM de Santarém

«O mais grave é a utilização dos blogs por terroristas» — Moita Flores, Presidente da CM de Santarém

Num tom mais sereno, José Gameiro mostra não estar 100% alinhado com o tema tendencioso deste artigo:

«A vida é um boato, há sempre boatos sobre nós» — José Gameiro

A qualidade jornalística deste artigo, para além da natureza altamente anti-democrática, é extremamente baixa e insultuosa a qualquer cidadão que queira usufruir do seu direito à liberdade de expressão.

É uma campanha para silenciar os cidadãos.

Reparem como querem associar “jornalismo” a blogs… blogs é liberdade de expressão, não é liberdade de imprensa.

Agora está uma trista palhaça morena, a qual não lhe apanhei o nome, que não tem problemas de ir de biquini para a praia e ser vista por milhares de desconhecidos. Mas se alguém lhe apanhar uma fotografia já fica toda lixada.

Criticaram a publicação do polémico vídeo do “dá-me o telemovel já” mas sem qualquer pudor mostraram imagens do vídeo, bem como zaragatas de recreios escolares.

As participações seleccionadas de espectadores é só contos de horror (com uma única excepção). É um perigo, é um antro de monstruosidades!

«Os predadores de menores utilizam a internet como arma de caça» — Moita Flores, Presidente da CM de Santarém

José Gameiro parece ser o mais são dos 4 presentes na mesa (o resto parecem ser 3 lunáticos):

«A Internet foi muito positiva para quem se sente só» — José Gameiro

Moita Flores revela ser um completo hipócrita:

«Não podemos aceitar que um instrumento tecnológico seja violador da privacidade» — Moita Flores, Presidente da CM de Santarém

Então porque estão ali a defender o fim da privacidade de quem escreve on-line?

Acabou… finalmente, é incrível… eu estou chocado como é que a SIC pensa que isto é jornalismo.

A julgar por estes senhores, a Internet é um antro de terroristas pedófilos que espalham verrina e veneno, difamação, injúria, etc…

Meus senhores: Vocês insultaram todos os bloggers.

Hioócritas.